03 – Maio 2012

02 – Fevereiro 2012
5 de Abril de 2018
04 – Agosto 2012
6 de Abril de 2018

03 - Maio 2012

Editorial

O TRABALHO NO SISTEMA PRISIONAL E SOCIOEDUCATIVO TAMBÉM SALVA VIDAS

As datas comemorativas servem para relembrar lutas históricas, conquistas importantes e eventos memoráveis. O Dia do Trabalho ou do Trabalhador comemorado no dia 1º de maio também vai servir para reflexão dos leitores, público-alvo do DIREITO CAPITAL, os inspetores de segurança e administração penitenciária e os servidores do Degase (Departamento Geral de Ações Socioeducativas).

O que tem sido feito para os trabalhadores dos sistemas Prisional e Socioeducativo do Rio de Janeiro por meio do Estado e o que ainda falta para melhorar o trabalho dos profissionais dessas áreas afins.
O contexto atual do serviço público fluminense é totalmente diferente da realidade de alguns anos atrás.

As mudanças surgiram de acordo com a demanda da sociedade em torno do tema Segurança Pública, que de forma indireta tem no Sistema Prisional e no Sistema Socioeducativo duas áreas que influenciam as políticas públicas que devem garantir o ir e vir do cidadão.

Os ataques contra alvos públicos em 2002 e 2006 ordenados do interior dos presídios e crimes bárbaros
como o assassinato do menino João Hélio em 2007 estimularam o debate sobre a Justiça brasileira e o tratamento direcionado às pessoas que cometem crimes ou atos infracionais (neste caso, adolescentes) no País.

O contexto também foi modificado após o mundo escolher o Brasil e o Rio de Janeiro para sediarem os maiores eventos do globo terrestre. A realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas também influenciaram os avanços nas políticas de valorização do servidor público do sistemas Prisional e Socioeducativo.

Os avanços foram acelerados por conta disso e o papel da representação de classe nas duas áreas aqui no Rio de Janeiro foi decisivo nesse processo. Portanto, é dever de cada trabalhador lembrar os progressos e refletir acerca desse dever que é defender e reivindicar os direitos da categoria profissional a qual pertence.

Afinal de contas, se houve várias mudanças positivas nos últimos anos porque não buscar mais vitórias no campo coletivo para melhorar as condições de trabalho e consequentemente o serviço prestado ao cidadão e contribuinte.

O trabalho no serviço público tem um caráter diferenciado. Além de obter o sustento pessoal e familiar,
o servidor tem o dever de fornecer um atendimento digno à população.

Nestes setores similares, ao efetivar o cumprimento da pena ou da medida socioeducativa e possibilitar meios para que pessoas que praticaram delitos ou atos infracionais não voltem a cometê-los é definitivamente uma questão de vida ou morte, para milhões de brasileiros, hoje e nos próximos anos, que são ou serão vítimas da violência.

 

1 Comentário

  1. g4vision disse:

    Muito bom!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *